sábado, 12 de outubro de 2013

#porumavidamaissimples

De quantos pares de sapato você precisa? Quantas peças de roupa?? De quanto você precisa pra ser feliz?? Hoje decidimos iniciar o projeto #porumavidamaissimples. Vamos nos mudar pra uma casa muito menor (pra que uma casa grande se só usufruo de 3 ambientes?), e nesse processo começamos a desmontar o guarda-roupa. Enquanto íamos tirando aquelas peças, compradas por serem tão "necessárias", tão "indispensáveis", eu ia pensando e refletindo: preciso mesmo de uma bolsa que não uso faz 6 meses? Preciso mesmo de uma blusa que não uso faz quase 1 ano?? E esse vestido, lindo, caríssimo, daquela marca tão desejada, mas que está amarelando por falta de uso? Preciso mesmo de 8-10 pares de sapatos, onde só calço um par por vez??? Enfim, preciso mesmo "me matar de trabalhar" pra pagar coisas que não usufruo??? Uma vida mais simples é preciso... O que preciso é de amor, muito amor, e esse ganho todos os dias, de todos os lados. Dos amigos, da família, do marido, da filha, dos conhecidos e, pasmem!, muitas vezes dos desconhecidos, em pequenas atitudes que fazem diferença em nossas vidas. Não existe fórmula pra uma vida mais simples, mas existe vontade de mudança. E eu vou ser muito mais feliz assim!!!


Nos próximos posts vocês irão se deparar com postagens minha sobre nossa nova vida. Iremos embora de Fortaleza. Deixarei amigos, família, trabalho, tudo que conheço e me foi referência nos últimos 35 anos, para uma nova vida, desconhecida, mas acima de tudo, uma vida que esperamos ser mais leve e mais feliz. Fortaleza, que já foi uma cidade tão provinciana, hoje está sob a mira dos bandidos. A violência está amedrontando as famílias e nos fazendo reféns em nossa própria casa. E não quero isso pra minha filha. Quero que ela tenha a infância que tive, subindo em árvore, correndo atrás de bicho, tendo liberdade pra ser criança...

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

O caminho de volta

"Já estou voltando. Só tenho 37 anos e já estou fazendo o caminho de volta. Até o ano passado eu ainda estava indo. Indo morar no apartamento mais alto do prédio mais alto do bairro mais nobre. Indo comprar o carro do ano, a bolsa de marca, a roupa da moda.

Claro que para isso, durante o caminho de ida, eu fazia hora extra, fazia serão, fazia dos fins de semana eternas segunda
s-feiras. Até que um dia, meu filho quase chamou a babá de mãe!

Mas, com quase quarenta, eu estava chegando lá. Onde mesmo? No que ninguém conseguiu responder, eu imaginei que quando chegasse lá ia ter uma placa com a palavra "fim". Antes dela, avistei a placa de "retorno" e nela mesmo dei meia volta.

Comprei uma casa no campo (maneira chique de falar, mas ela é no meio do mato mesmo). É longe que só a gota serena. Longe do prédio mais alto, do bairro mais chique, do carro mais novo, da hora extra, da babá quase mãe.

Agora tenho menos dinheiro e mais filho. Menos marca e mais tempo. E não é que meus pais (que quando eu morava no bairro nobre me visitaram quatro vezes em quatro anos), agora vêm pra cá todo fim de semana? E meu filho anda de bicicleta, eu rego as plantas e meu marido descobriu que gosta de cozinhar (principalmente quando os ingredientes vêm da horta que ele mesmo plantou).

Por aqui, quando chove, a Internet não chega. Fico torcendo que chova, porque é quando meu filho, espontaneamente (por falta do que fazer mesmo) abre um livro e, pasmem, lê. E no que alguém diz "a internet voltou!" já é tarde demais porque o livro já está melhor que o Facebook, o Twitter e o Orkut juntos.

Aqui se chama "aldeia" e tal qual uma aldeia indígena, vira e mexe eu faço a dança da chuva, o chá com a planta, a rede de cama. No São João, assamos milho na fogueira. Aos domingos, converso com os vizinhos. Nas segundas, vou trabalhar, contando as horas para voltar.

Aí eu me lembro da placa "retorno" e acho que nela deveria ter um subtítulo que diz assim: "retorno – última chance de você salvar sua vida!" Você provavelmente ainda está indo. Não é culpa sua. É culpa do comercial que disse: "Compre um e leve dois". Nós, da banda de cá, esperamos sua visita. Porque sim, mais dia menos dia, você também vai querer fazer o caminho de volta.

Téta Barbosa é jornalista, publicitária e mora no Recife. "


Esse lindo texto que uma amiga compartilhou comigo reflete o momento que vivo hoje. Me preparando pra fazer o caminho de volta, por um futuro melhor com a minha filha e minha família.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Viagem rápida e cheia de amor

Recentemente viajamos com Valentina pra visitar a "prima" Íris, minha afilhada querida, que mora numa cidade chamada Croatá, localizada a 331km de Fortaleza. Passamos um dia em Croatá e outro dia em Guaraciaba do Norte, onde o pai da nossa afilhada mora. Foi uma viagem super rápida, chegamos na madrugada do sábado e voltamos na segunda, com direito a uma parada no Zoológico de Canindé. Valentina adorou os dias com a prima, se divertiu muito, infelizmente as cachoeiras estavam todas secas e não deu pra tomarmos banho nas variadas opções que a região tem, mas ainda assim foi muito proveitoso, sem contar o descanso e o friozinho de 15º da cidade (delícia!). É sempre bom estar perto de quem amamos e matar as saudades, não é verdade?? 

Próxima parada será Lagoa do Uruaú, onde vamos reencontrar a linda Maya e conhecer o Benjamim, do blog "Com amor... Mamãe...".






terça-feira, 25 de junho de 2013

Hora de desfraldar? Como estamos fazendo e dicas de livro

Inspirada em uma publicação que eu vi no Instagran das +Mães Brasileiras, resolvi hoje falar do desfralde da Valentina. Bem, confesso que nunca tivemos pressa em desfraldá-la. O processo meio que vem acontecendo por vontade dela. 

Observamos inicialmente que ela já não gostava de ficar com a fralda, sentia-se incomodada e... simplesmente tirava a bendita. Aí passamos a deixá-la algumas horas do dia sem a fralda descartável, apenas de calcinha. Pela manhã ela tem ido de fralda pra escola (que não tocou no assunto sobre desfralde ainda, mas cujo eu pretendo a partir de segunda-feira mandar sem fralda). A tarde, em casa ou na casa da vovó, fica só de calcinha mesmo. A noite dorme sem fralda e apenas uma vez fez xixi na cama. A questão é que durante o dia, quando passa a maior parte do tempo sem a fralda, ela fica horassssss sem fazer xixi e eu estava receosa de que ela estivesse "segurando" a vontade até a hora que alguém colocasse fraldinha nela. 

É importante frisar que ela ganhou no seu aniversário de 2 anos um peniquinho fofo, mas simplesmente tem pavor a ele. Já tentei colocá-la algumas vezes, mas só em pensar ela chora, se joga, esperneia e claro, não forço a barra, né?

Foi aí que com a indicação do IG das +Mães Brasileiras me deparei com esse livro "O que tem dentro da sua fralda?" e corri pra livraria pra comprar. O livro é uma delicinha. Conta a história de um ratinho curioso que quer descobrir o que tem dentro da fralda dos seus amiguinhos. E o mais legal, cada bichinho usa uma fraldinha que a criança "abre" e mostra o cocôzinho. Valentina adorou essa parte!!!! Chega a hora do ratinho mostrar sua fralda e ela está limpinha!!! E ele explica que faz o seu cocô no penico!



Imagens da internet retiradas daqui

Fabuloso, não?! Na internet ainda encontrei essa dica legal, no blog Um amor de eva,  que são os bichinhos em E.V.A. Já estou pensando em fazer os bichinhos pra Valentina. Seria outro recurso pra estimular essa importante passagem, não é verdade?



Tem também muito artigo interessante no mundo virtual. Confiram esse AQUI sobre como desfraldar meninas.

Aí aproveito pra deixar outras dicas de livros que encontrei na Internet e estou buscando para a biblioteca da Valentina (outro assunto que quero abordar aqui no blog!)... Vamos às dicas?

1) O que se faz com o penico? 

Com este livro, a criança brinca com as imagens, colocando em movimento figuras do livro. Seu filho vai se divertir enquanto se familiariza com o penico.










2) Cocô no trono


Um pintinho tira sarro de vários bichos que já aprenderam a sentar no trono - e que fazem cada um sua espécie de cocô. Mas ao final, ele também apresenta sua performance 9 aprende a usar a privada sozinho), para completar ainda toca a descarga, tarefa que cabe ao leitor ao apertar um botão sonoro.







3) Hora do penico


Neste livro, as imagens  reais  mostram meninas  e meninos envolvidos com os novos elementos relacionados ao desfralde; calcinhas, papel higiênico, penico, etc. Acompanha uma cartela de "adesivos de recompensa" (questionável). O legal desse livro é que também tem a versão para os meninos!





4) O patinho usa o penico
O patinho precisava usar o peniquinho. Descubra nesse livro como ele conseguiu deixar de usar fraldas e se tornar um patinho crescido!









5) Cadê o meu penico?
A coitada da Hortênsia estava louca de vontade de fazer “uma tal coisa”, mas não encontrava o seu penico por nada... Enquanto isso, a bicharada toda se divertia com um objeto misterioso. Seria uma gamela? Um tigelão? Quando eles descobrem que aquele pote serve para fazer xixi e cocô, ficam encantados com a novidade: estão todos muito apertados e não querem mais saber de sujar o terreiro! Enquanto isso, Hortênsia pergunta aos animais sobre seu penico, mas eles não o conhecem por esse nome, por isso não podem ajudar. Coitada, será que ela vai recuperá-lo a tempo? Escrita em versos rimados, esta história fala de maneira divertida sobre uma fase de crescimento e aprendizado na vida das crianças pequenas.


6) Vivi e o peniquinho
A coitada da Hortênsia estava louca de vontade de fazer “uma tal coisa”, mas não encontrava o seu penico por nada... Enquanto isso, a bicharada toda se divertia com um objeto misterioso. Seria uma gamela? Um tigelão? Quando eles descobrem que aquele pote serve para fazer xixi e cocô, ficam encantados com a novidade: estão todos muito apertados e não querem mais saber de sujar o terreiro! Enquanto isso, Hortênsia pergunta aos animais sobre seu penico, mas eles não o conhecem por esse nome, por isso não podem ajudar. Coitada, será que ela vai recuperá-lo a tempo? Escrita em versos rimados, esta história fala de maneira divertida sobre uma fase de crescimento e aprendizado na vida das crianças pequenas.Bem, esses são os títulos que eu encontrei e achei que me ajudarão muito no processo. Irei comentar com vocês todo o processo, nossas conquistas, avanços e sucesso nessa nova aventura... 

domingo, 2 de junho de 2013

Tentando voltar... | Notícias da gente...

Gente, peço desculpas pelo sumiço. Essa mãe que aqui escreve anda numa correria sem fim. Depois do aniversário de 2 anos da Valentina, nos mudamos para um bairro mais próximo da empresa, o que facilitou muito nossa vida, já que antes levávamos cerca de 50 minutos de casa pra escola da pequena e hoje levamos menos de 2 minutos (isso mesmo, dois lindos minutinhos!).

Mas junto veio o fato de colocar a nova casa em ordem e iniciar a reforma da antiga casa (que estamos dividindo ao meio pra alugar), algumas adaptações que estamos passando na empresa e muito, muito trabalho. Também estamos mais focados e dedicados à Valentina e nos proibimos de ter internet em casa. Isso foi uma decisão muito acertada, pois ao chegarmos vamos brincar, ler livros, assistir filmes, todo nosso tempo é pra ela, e isso tem feito muito bem à nossa família.



Nesses dois meses que não escrevemos no blog, posso falar dos saltos no desenvolvimento da nossa Valentina. Desandou a falar TUDOOOOOOOOOOOO. E não é exagero de mãe não. Já conta até dez sozinha, fala todas as vogais, adora cantar e dançar e sua frase do momento é... QUER NÃO. 

- Filha, vamos comer?
- Quer não!

- Filha, é hora de tomar banho.
- Quer não!

- Valentina, vamos acordar e ir pra escola?
- Quer não!

E assim vamos levando o dia. 

Dei uma relaxada na minha neura com as preocupações de peso e crescimento. Hoje ela está com 26 meses, com 10Kgs e 80,5cm. É baixinha e magrinha, mas uma criança muito saudável, que quase não adoece e entendo ser do biotipo dela. Estamos na fase da alimentação divertida. Ela vinha vários dias praticamente sem almoçar, sempre era um tormento pra mim a hora do almoço, porque nunca queria comer nada. Tem uns 3 dias que estou adaptando a alimentação dela, fazendo as chamadas "food face", comida com carinhas, e ela tá comendo tudo. 

No mais é isso. Estamos bem, felizes, nos curtindo como família e espero muito poder vir aqui com mais frequência contar as novidades.

sexta-feira, 22 de março de 2013

2 anos da Valentina | A festa

"Você pode sonhar, projetar, criar e construir o lugar mais maravilhoso do mundo. Mas precisará de pessoas para tornar o sonho realidade."
Walt Disney

Um pedacinho do nosso sonho...

 




A postagem de hoje é para agradecer. E tenho tanto!!!! Não é segredo para ninguém o meu amor pelas festas infantis. Trabalho com isso e sonho com cada evento com muito carinho. E certamente o evento mais esperado pra mim todos os anos é a celebração do aniversário da minha linda filha. Este ano comemoramos seus dois aninhos com o tema Atelier de Costura. Um tema inusitado, mas pensado com muito carinho. E eu quero contar uma história pra vocês e o porquê desse tema. 

Quando pensei nos dois anos da Valentina, inicialmente iria fazer o clássico Chapeuzinho Vermelho, que ela adora. Mas eu não queria o bosque, o lobo... Sempre penso em explorar perspectivas diferentes e minha ideia começou então a ser moldada para "a casa da vovozinha". Minha proposta era fazer da festa a casa da vovó, com muitos quitutes, cadeira de balanço e... Bem, quando penso na minha mãe e na minha avó, lembro de costura. Sempre que eu viajava para casa da minha avó, tenho essa lembrança dela na máquina de costura, cantando pra gente enquanto labutava. Minha mãe herdou esse dom!! Quando o meu pai morreu, e lá se vão mais de 15 anos, minha guerreira-mãe se viu com três filhos e a obrigação de ter que cuidar deles sozinha. E foi com a costura que ela "se virou". Ela ia nas fábricas de confecção pedir doação do que chamamos de lixo industrial, ou seja, restos de tecido, e dali ela fazia a mágica. Juntava cuidadosamente cada pecinha e criava sonhos. Minha mãe é uma fada!!! E com essa ideia o tema Chapeuzinho foi virando Atelier da Vovozinha...

Mas, ainda não era o que eu queria... Não conseguia casar as ideias, tava tudo "muito adulto"... Foi quando eu conheci as bonecas Lalaloopsy e voilá, eis que surgiu o Atelier da Valentina. Resolvido o tema, era preciso contar com os profissionais certos para realizar o sonho. E eu só posso dizer que fui agraciada por Deus, que colocou no meu caminhos pessoas que sonharam junto cada detalhe da festa.

Primeiramente, quero agradecer a Feitos a Mão, por Andrea e Helena. Duas fadas, que "enlouqueceram" junto com esta mãe ao saber do tema e suaram a camisa, literalmente, pra deixar tudo no mais perfeito estado de graça. Cuidaram minuciosamente de cada detalhe, transformando um monte de peças soltas em beleza composta.






Meus lindos e DELICIOSOS chocolates foram feitos pela amiga-irmã-companheira Viviane Queiroz. Dessa eu não largo nunquinha... Está conosco desde os 6 meses da Valentina, na festa de 1 ano, agora na de 2 e certamente em todas as próximas... Sou plenamente apaixonada pelo trabalho da Viviane, que faz tudo com muita delicadeza e sonha junto com a gente. Lia Carvalho, outra amiga que está junto conosco nas festas desde os 6 meses da Valentina, foi responsável por toda a parte de papelaria, além de desenvolver a identidade visual da festa e o convite mais que lindo. Sou muito suspeita pra falar da Lia, pois a admiro como profissional e festeira... Tudo de excelente qualidade e de detalhes de babar.












As lembrancinhas foram feitas pela também amiga-festeira Kamilla, do Atelier Kamilla Rabelo. As meninas receberam travesseiros em forma de patchwork com a bonequinha bordada e os recém-nascidos receberam um kit que chamamos de "minha primeira papinha", com babador, paninho de boca e jogo americano. Luxo total. As lembrancinhas dos meninos foi um kit pintura que eu comprei e personalizei.




A cobertura foi feita por dois grandes profissionais, que acompanho e admiro: o Salomão, da Sbs Montanna Vídeo, e o Willian, da Willian Fotografia. Nos deixaram super a vontade, sem pressão alguma, sabendo respeitar o nosso tempo e o tempo da Valentina. Saber que esses momentos estarão eternizados não têm preço. Estou aqui na expectativa das fotos!! 

JR Eventos esteve cuidando da iluminação. Júnior querido, é sempre um presente a sua companhia, as risadas que damos juntos e certamente o seu trabalho dá mais brilho e beleza a qualquer evento.


Duas grandes biscuiteiras fizeram peças lindas pra festa: Amanda e Flávia, certamente vocês têm um dom dado por Deus. Que Ele continue abençoando o trabalho de vocês, que é perfeito.



As meninas da Chikilin Camarim deram um charme ao evento, fazendo cabelo e maquiagem das meninas e tatuagem falsa nos meninos. Foi uma curtição!!!

Minha amiga Yany Porto fez as maçãs peroladas e as torres com mini-suspiros recheados... Luxo dos luxos... Babarei eternamente neles...



A Guardanapos e Cia esteve mais um ano conosco, com seu trabalho primoroso na confecção de guardanapos personalizados, que juntos tinham cruzetinhas de MDF feita pela Rafaela Baia, super talentosa também. Os centros de mesa e arranjos florais foram feitas pela Amuh Flores, que teve todo um cuidado não só na escolha das flores, mas na composição dos arranjos. Com certeza virei cliente fiel dessas profissionais.



Minha roupa e da Valentina foram feitas pela Innocence Couture. Marca mais que amada, Valentina foi a primeira cliente deles e voltamos agora, dois anos depois, com vestido mãe-filha que foi sucesso. Os manequins usados na festa foram também do Atelier deles. A-M-A-M-O-S. 






segunda-feira, 18 de março de 2013

Correndo contra o tempo: preparativos finais da festa de 2 anos

Estou pra correr louca no meio do mundo!!! kkkkkkk Preparativos finais pra festa de dois anos, tô na correria pra dar conta de tudo e o resultado vai ser lindoooooooo!!!